Traduções que são um drama

TPZZZZZZZZ

Se dependesse desses nomes, duvido que você assistiria os filmes citados abaixo. Com vocês, os piores títulos “abrasileirados” do cinema.

teen_wolf

Original – “Teen Wolf” (1985)

Abrasileirado – “O Garoto do Futuro”

A comédia adolescente baseada no terror “I Was a Teenage Werewolf” (da década de 50), fazia metáfora com a puberdade quando o protagonista virava um lobisomen e passava de um zé-ninguém ao cara mais popular e desejado do campus. O filme foi um grande sucesso de bilheteria alavancado pelo então iniciante Michael J. Fox no sensacional “De volta para o Futuro”. Os tradutores não perderam tempo, e nem quiseram forçar a mente. O “criativo” título que provavelmente saiu enquanto um deles estava “tirando o peso extra” no banheiro foi… “O Garoto do Futuro”.

Parenthood

Original – “Parenthood” (1989)

Abrasileirado – “O tiro que não saiu pela culatra”

Ron Howard dirigiu de forma competente os dramas e alegrias da nada tradicional família Buckman. Steve Martin imortalizou o personagem de pai desajeitado que o acompanharia anos mais tarde em outras produções como “Doze é demais” e “O Pai da Noiva”. Aqui, “Parenthood” se transforma no ditado “O tiro que não saiu pela culatra”. Isso faz algum sentido com a palavra paternidade? Acho que não.

bloodsport

Original – “Bloodsport” (1988)

Abrasileirado – “O Grande Dragão Branco”

A aventura do campeão Frank Dux durante o sangrento Kumite, transformou Van Damme num dos astros mais requisitados no cinema da pancadaria. Depois de usar poderosos narcóticos, a equipe de tradução sugeriu adaptar “Bloodsport” para o “O Grande Dragão Branco”!

1401505_4

Original – “Tommy Boy” (1995)

Abrasileirado – Mong & Lóide

-Hummmm… “Debi & Lóide” deu certo. O cartaz tem dois sujeitos engraçados. Ah, vai “Mong & Lóide” logo!
-Gênio!

BEZZI



Anúncios

Van Damme por Van Damme

Trailer

Depois de presenciar a volta triunfal de Stallone, fiquei me perguntando… Por onde andará Jean Claude Van Damme? Obtive minha resposta quando um amigo comentou que o astro das artes marciais voltaria numa comédia em tom autobiográfico.

O cara viveu o paraíso e inferno de ser uma celebridade. Começou humilde, ficou famoso, perdeu a noção, passou por divórcios, drogas, participou do programa do Gugu e caiu na vala do esquecimento.

JCVD (França 2008) visa ser a segunda chance do “Músculos de Bruxelas” na indústria cinematográfica. A película tem gerado curiosidade exatamente por mostrar um herói de filmes de ação frágil, sem grana e a procura de trabalho. Estou na expectativa do filme passar por aqui e quem sabe, Van Damme mostre mais que golpes de karatê e alongamento de pernas.

Ficando “durão” no Brasil

BEZZI

The Touch

Pela segunda vez posto uma cena do Boogie Nights. Dirk Diggler resolve virar cantor e durante a sessão de gravações manda “The Touch”. Até aí, eu pensava ser uma música criada especialmente para o filme.

Fuçando sobre a animação Transformers de 1986, descobri que a faixa “The Touch” fez parte da trilha sonora junto a outras bandas de “Hair Metal” daquela década. O responsável pela versão original foi o cantor Stan Bush (uma espécie de Sammy Hagar da segunda divisão).

Além de Transformers, fez uma música para o filme Kickboxer do astro da pancadaria Jean Claude Van Damme.

Que currículo!

BEZZI