Bate Papo com o La Femme

Com dois, polêmicos, EPs no mercado e uma interessante cover do Justice no currículo, os franceses do La Femme pretendem ser um nome distoante na cena local em que a dance music festeira e o rock feito sob medida para festinhas hipsters  tomam conta de ouvidos mais jovens.

O sexteto produz um pop gélido que em alguns momentos nos  transporta ao período da cold e minimal wave, que tomou conta de uma boa parte da cultura alternativa da onipresente década de 1980. “Le Podium #1” lançado em 2010 causou furor ao trazer na capa a foto de um orgão sexual feminino em close e boas faixas como “Telegraphe” e “La Femme Resort“.

Em 2011 lançaram “Paris 2012” e novamente trouxeram a imagem de outro belo corpo feminino nú em sua arte. Destaque para a música “From Tchernobyl With Love” que traz a memória uma das maiores catástrofes nucleares que já ocorreram na história da humanidade.

Leia a entrevista, quase monossilábica, que fiz com eles:

1 – Quais são as suas maiores influências?

Kraftwerk, Serge Gainsbourg e Velvet Underground

2 – Como vocês criaram seu visual? Há alguém no mundo da moda que vocês admirem?

Tim Burtom, arte nouveau, arte deco e as décadas de 20 e 30 nos influenciaram muito. Não muito estilistas.

3 – Vocês fizeram uma boa cover de “Ohio” do Justice. Mostraram pra eles?

Sim, ela foi feita para um concurso online e entregamos duas horas após o deadline. Aí eles deixaram de lançar oficialmente.

4 – Atualmente, qual artista francês merece ser ouvido?

Tem uma banda chamada Mustang. É algo entre o Suicide e Elvis Presley cantado em francês com uma pegada pós punk. É bem legal.

5 – Como vocês tiveram a ideia para o clipe de “Paris 2012”?

Sei lá. Acho que fumamos alguma coisa…talvez.

6 – Gostam de música brasileira?

Gosto daquela música “Águas de Março”.

 

Hot Chip – “How Do You Do”

Novo vídeo de Hot Chip em clima kitsch malucão para o single de “How Do You Do“. A direção é de Rollo Jackson.

Set Desobezzi#2 no ar pelo deepbeep

Desobezzi em sua versão 2. Set direcionado a indie house, nu disco e vertentes. Tem remixes do Bottin, Gigamesh, Zopelar, e faixas autorais de Todd Terje, Glocal, além de uma cover inusitado do Holy Ghost. Ouçam e me contactem.

OUÇA

Human League em 3 momentos

Um dos principais nomes da primeira leva do synthpop britânico retorna ao nosso país, 6 anos após uma apresentação inesquecível no Nokia Trends (2005).

O Human League dispara seus hits certeiros hoje à noite no Via Funchal (SP), e apresenta músicas do recente “Credo“, nono trabalho de estúdio de Phil Oakey e sua trupe.

Vamos relembrar três momentos distintos de sua carreira. “Empire State Human (1979)”, “Love Action (1980)” & “Tell me When (1995)”.

A nostalgia do Outrunners

The Outrunners (dupla formada pelos produtores Stephen Falken & Pierre de La Touche) lançou no ano passado seu EP “Running for Love and Money” que continha a bacana faixa retrô-futurista “Diamonds“.

A faixa ganhou alguns clipes contendo cenas de comerciais, cartoons e filmes cult da década de 1980. Um dos mais legais, foi produzido pela “equipe” do blog TNUC.

Assim como o Valerie, a página presta homenagem a artistas do passado e seus sucessores que bebem da mesma fonte. Tentem ver quantas cenas vocês conseguem identificar.