Um Beatle no tempo das cavernas

Sempre que me perguntam sobre o Ringo Starr, eu falo que ele fez duas grandes coisas em sua carreira. Ter feito parte dos Beatles e  ser o protagonista de “Caveman“. Aí vocês perguntam – Que diabos é isso?  Em 1981, o diretor Carl Gottlieb dirigiu essa comédia pré-histórica com um elenco que contava com os ainda novatos Dennis Quaid, Shelley Long & Barbara Bach (esposa de Ringo na época).

O filme contava  saga do rejeitado Atouk (Starr) que vivia à margem de sua tribo dominada pelos mais fortes. Uma noite após tentar seduzir a mulher de seu impiedoso líder “Tonda” (vivido pelo já falecido John Matuszak, famoso no papel de Sloth em Goonies) nosso herói parte pelo mundo afora se deparando com outras figuras incompreendidas que o seguem para formar um novo grupo que vai acompanhá-lo em sua jornada contra os valentões da idade da pedra.

O longa é (quase) todo falado num dialeto similar ao usado em “A Guerra do Fogo“, produzido no mesmo ano. Um show à parte, são os hilários dinossauros de stop-motion concebidos por Jim Danforth (de “Fúria de Titãs“). Se você já viu, é sempre bom rever. Se ainda não viu, espere um besteirol de alta classe.

Anúncios

As favoritas dos Irmãos Farrelly

Os irmãos Peter e Robert Farrelly foram uma espécie de magos da comédia anti-politicamente correta na década de noventa. Lançaram longas que entraram para o imaginário pop como: “Dumb & Dumber“, “There´s Something About Mary“, “Me, Myself & Irene” & “Shallow Hal“.

A dupla era vista com maus olhos pelos defensores da moral e dos bons costumes. Diversos filmes viraram alvo de críticas ferrenhas por fazer troça com deficientes físicos, mentais, idosos, e outras coisas que nenhum humorista ousa falar nesses tempos sem graça do século 21.

Esses dias, finalmente assisti  “Hall Pass“, não é o biscoito fino dos diretores, porém, se redime levemente do tedioso “Stuck on You“, e do meia boca “The Heartbreak Kid. Mesmo não sendo páreo a seus antecessores, eles contém uma série de gags que valem uma zapeada.

Abaixo, separei alguns dos melhores momentos de meus três filmes favoritos do duo. Divirtam-se.

Supositórios Cinematográficos: Cine-plágio

Lembrando que nos último anos temos nos deparado com um tsunami de refilmagens e falta de novas ideias na indústria da sétima arte, vale ressaltar os produtores de filmes de baixo orçamento que xerocam descaradamente títulos e franquias bem sucedidas, com a diferença de efeitos de segunda e atores de terceira que elevam a canastrice às estrelas.

Muitos desses petardos trash saem diretamente no mercado de DVD e contam com títulos “criativos” como “Transmorphers“, “Snakes On a Train“, “Alien VS. Hunter“, e “Terminators“. Óbvio que esses aspirantes a Ed Wood devem ter recebido intimações ameaçadoras dos grandes estúdios que não acharam graça nenhuma.

Bom, eu achei muita graça, e recomendo aos leitores para darem uma zapeada nesses longas que nos fazem lembrar porque os originais sempre serão melhores (e menos engraçados).

Terminators” (2009): O primo pobre da franquia Terminator.

Snakes On A Train” (2006): Bem mais emocionante que “Snakes On A Plane“.

Transmorphers” (2007): Optimus Prime se revira em seu túmulo metálico.

Alien VS. Hunter”(2008): Predadores? Pra que?

Lady Gaga em versão Java

O Fame Monster chegou na versão Java! Socorro!

O Sitcom dos vilões de Cartoon

Os maiores vilões dos desenhos animadas dos anos 80 resolveram alugar um apartamento numa tranquila vizinhança para fugir de sua rotina de planos maquiavélicos e conquistar do mundo.

Esqueleto, Destruidor e Mun Rá, agora lidam com contas atrasadas, falta de papel higiênico e vizinhos rabugentos, como o Comandante Cobra. A animação criativa ( e bem low-profile), foi produzida em 2008 pela Brock Baker Production.