James faz show dia 30/04 no Cine Joia

Depois de recebermos o New Order no final do ano passado e há pouco, o dândi Morrissey, estava na hora de mais um mito da cena de Manchester dar o ar da graça no Brasil.

Formado nos anos 80, o James já foi tido como rival do Smiths e foi colocado na lista de “a última salvação do rock britânico”, durante os anos 1990 quando os artistas do velho continente perdiam chão para o fenômeno do rock alternativo norte-americano.

Finalmente veremos uma performance ao vivo de Tim Booth e seus comparsas. Sim, o grupo vem com sua formação clássica. Ela acontece no dia 30 de abril (segunda-feira) no Cine Joia, localizado no bairro da Liberdade em São Paulo. Não ficarão de fora os hits “Sound”, “Born of Frustration”, “Laid”, “Say Something” & “Sit Down”.

Serviço:
James In Concert
Segunda-feira, 30 de abril
Abertura: 21h/Horário do show: 23h30
Ingressos: R$ 120,00 ou R$ 60,00 (meia entrada)
Ponto de venda : Av. Brigadeiro Luis Antonio, 277 – 1º andar (de segunda a sexta-feira, das 11h às 18h).
Anúncios

Top 3 Morrissey

Neste domingo (11/03) , o “dândi mor” da cena britânica chega a São Paulo para finalizar sua mini-tour pelo Brasil. Morrissey na minha modesta opinião foi dos poucos artistas que souberam envelhecer com dignidade. Além de transformar sua imagem e som em algo atemporal.

Meu primeiro contato com a sua figura foi no programa “Vídeo Show” em 1985, quando era transmitido aos domingos. Surge na tela uma matéria sobre as três bandas sensações do momento. No caso, The Cure, Echo & The Bunnymen…e The Smiths. Lembro de ter achado aquilo tudo muito estranho e fora dos padrões do que eu achava legal num grupo de rock. Naquele período, o Van Halen pra mim era a melhor coisa do mundo.

A imagem do clipe de “The Boy with The Thorn in His Side” marcou aquele dia. Na hora não havia gostado, tinha preferido a banda de Mr. Ian  Mcculloch. Talvez por ter achado eles menos afetados e com cortes de cabelos mais legais. Com o passar dos anos, fui ouvindo a obra dos Smiths e procurando saber o que significavam suas letras. Com o fim da minha infância, muitas das coisas cantadas por Stephen Patrick Morrissey faziam sentido para este que vos escreve.

Lembro também de ler na extinta revista Bizz, uma nota sobre o fim da banda e pouco tempo depois, saber que seu vocalista estava com um ótimo trabalho solo. No ano 2000, veio fazer um show no país. Infelizmente os ingressos se esgotaram e eu não pude assistir. Após uma década, finalmente terei a chance de vê-lo ao vivo.

Aproveitando, selecionei três faixas que nunca saíram de meu playlist pessoal.

Sábado (05/11) tem Party People pós-Terra no Tapas Club

+INFOS

Lista: djbezzi@gmail.com (até sábado às 19h00)

Noel Gallagher no TFI Friday (1996)

O TFI Friday foi um popular talk-show passado no Channel 4 inglês de 1996 a 2000. Na casa em que era filmado, foram entrevistadas figurinhas carimbadas da cena local como o malucão Shaun Ryder, As Spice Girls, Morrissey, Sir Elton John, e o então emergente talento, Ewan McGregor.

Exatamente em 96, o Oasis era a maior banda do mundo com seu obrigatório “What´s the Story, Morning Glory?“. E o show recebeu na sua casa/estúdio, o cabeça Noel Gallagher para um descontraído bate papo com o apresentador Chris Evans. Gallagher dava detalhes do megalomaníaco “Be Here Now“, álbum não muito querido por ele nos dias de hoje.

Atualmente o compositor prepara sua estreia solo rebatendo seus ex-colegas que formaram o Beady Eye.

Cribs: Graham Coxon e Gorillaz

Como vocês devem saber, a MTV produz uma série intitulada “Cribs” aonde celebridades do cinema, música e adolescentes ricos mostram a intimidade de seus lares.

Na versão indie e britânica do show, o primeiro escolhido foi nada mais, nada menos que o guitarrista do Blur (e também artista solo) Graham Coxon (foto). Que entre uma conversa e outra, exibiu sua coleção de sapatos, chapéus & toys (com direito a um Pikachu falante).

Outra grupo fora do comum foi o Gorillaz que recebeu a equipe para dar uma vasculhada na sua casa/estúdio na época do aclamado “Demon Days“. Assistam.