A vingança dos deletados

Mesmo antes da explosão das redes sociais, os internautas sofrem com um problema em comum que entra no mesmo nível do bullying digital. Aturar a vingança de alguém que você deletou em sua lista de amigos. Desde a época do ICQ que ouço estórias desse tipo. Algumas surrealmente hilárias, outras assustadoras que acabaram na justiça.

Todo mundo já deve ter deletado uma ex-namorada (o) ou aquela pessoa que antes você julgava ser legal, mas mostrou-se um tanto incoveniente entupindo seu mural e caixa de mensagens. Todos nós já cometemos esse erro. Tanto o de dar corda, como fazer algo que não achávamos que iria aborrecer os outros. O ser-humano erra (e muito) também na vida online. Coletei alguns casos com leitores do Discoteca Kamikaze e podemos notar como uma inocente ignorada, pode ser um convite ao inferno.

A leitora que se identifica como “Piper Maru”, conta que na época do Orkut aceitou adicionar um figura que usava um nick ligado a cultura psytrance. De início era um cara educado. Depois de um tempo, ela viu que o universo da pessoa só girava em torno de fumar, fazer necessidades fumando e ficar frito em raves. Se enchendo dos tais papinhos, ela deletou a peça de seu perfil. Aí seu martírio começou. O jovem ficou indignado e tentou ser readicionado sem sucesso. Chegou a invadir a página de amigos dela para escrever ameaças pesadas, dizendo que ia partir para agressão física, roubar e-mails e outras coisas do gênero. Depois de algumas denúncias e novos bloqueios, o maluco retorna no Facebook querendo fazer parte da lista. A noção passou longe.

“A.P.”, me contou que recebeu uma bronca quando não quis que sua mãe fizesse parte de seus contatos. Bom, nossos pais nunca vão nos entender, ainda mais nos dias de hoje. Também tem os que te escrevem estressados porque você parou de seguir no Twitter, que não retribuiu cutucada no Facebook, os que tagueiam fotos…até caso de ameaça de vida devido ao MSN. A lista é grande!

Ocorreu há pouco, uma situação que terminou nos tribunais . O cara se separou de sua esposa e passou a persegui-lá sem piedade. Chegando ao ponto de jogar na internet diversas fotos de momentos íntimos e outras coisas que fazem a alegria de frequentadores de sites adultos. Não satisfeito com a exposição explícita, o sujeito passou a ligar dizendo que iria se matar e levaria a sua ex junto. A garota salvou todas as conversas, e-mails e páginas, rendendo um processo judicial. O valentão praticamente foi calado e ainda teve que desembolsar uma boa grana.

É…nem atrás de um teclado estamos 100% seguros.