Sónar SP 2012: Resumo do dia 12/05

E rolou mais um dia da edição brasileira do Sónar. Com público maior do que na sexta, o festival trazia o line mais concorrido que lotaram os três palcos durante todo evento. Teve rock instrumental, dubstep, techno, maximal, technobrega, house e pop de FM. Infelizmente, as filas estavam piores que no dia anterior e os seguranças não estavam preparados para dar informações corretas aos transeuntes. Esperamos que isso melhore no ano que vem.

As atrações começaram mais cedo no Sónar Village e Sónar Hall. Dago, Gang do Eletro, Pazes, Psilosamples, Silva e Thomash (da Voodoohop) deram a tônica animando os palcos para o povo que começava a chegar. Mais tarde,  um tom mais experimental reinou por conta do Flying Lotus, Four Tet, James Blake (em sua versão Live), o lendário Ryuchi Sakamoto e Squarepusher (foto acima), um dos gigantes da geração IDM.

Uma das melhores performances da noite, em que o Justice parecia reinar absoluto, foram os escoceses do Mogwai. Com um paredão de guitarras ensurdecedor unido a harmonias climáticas, a banda mesmo prejudicada pela acústica e a falação da plateia, entregou um presente para seus fãs, que ficaram emocionados, com direito a um pequeno (e animado) mosh pit.

A apresentação durou mais tempo que o programado e seguiu com um caprichado set do DJ Bruno Belluomini, nome por trás da bem sucedida festa de dubstep Tranquera, que conta com um expressivo número de seguidores pelo país e foi a primeira noite feita por aqui dedicada ao estilo.

O Sónar Club novamente foi o espaço mais lotado e iniciou seus trabalhos com o DJ Nedu Lopes que teve a difícil tarefa de aquecer as pessoas para o ex- Gnarls Barkley, Cee Lo Green. O cantor surgiu no palco em meio a projeções que pareciam um misto de comercial do iPod com vinhetas da série cinematográfica OO7. Ele entregou (tarde) exatamente o que se esperava, um bom pop com influências de soul, r&b e hip hop. E dançava no melhor estilo de nosso inesquecível Tim Maia.

Os cariocas do The Twelves, fizeram um competente e curto DJ Set que foi interrompido para ajustes finais no grandioso palco do duo francês Justice. O séquito de Gaspard Augé e Xavier de Rosnay, lotava a frente do palco como se preparassem para algum culto religioso ao som de Queen e Led Zeppelin. A catarse aconteceu logo na entrada da dupla aliada a um impressionante show de luzes e alguns efeitinhos extras. Só tinha presenciado tamanha histeria num Live PA quando vi os Chemical Brothers pela primeira vez em 1998Os dois produtores executaram mashups de suas próprias composições, o que perdoa o fato de certos boatos que os acusavam de apenas dar apenas o Play num laptop ou CDJ. Segundo um amigo, esse Live é como se fosse o “The Wall” da eletrônica. Justiça seja feita.

Mais de duas da manhã e aguardava os alemães do Modeselektor e seu techno com batidas quebradas. Boa parte das faixas executadas seriam do recente “Monkeytown”. Bem, minha bateria não aguentou até a hora do Totally Enormous Extinct Dinosaurs e tive que voltar para descansar. Deixa pra próxima. :)

2 pensamentos sobre “Sónar SP 2012: Resumo do dia 12/05

  1. Pingback: Clássicos da música eletrônica em versão analógica « DISCOTECA KAMIKAZE

  2. Pingback: Assista ao trailer de “New Lands”, o novo clipe do Justice « DISCOTECA KAMIKAZE

Vai, pode falar.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s